Submenu

Notícias

  • 9th International Conference on Geomorphology (9th ICG) New Delhi, India, November 6-11, 2017

    O tema principal desta Conferência é "A Geomorfologia e a Sociedade" e está sendo organizada pelo Instituto Indiano de Geomorfologia. A Conferência incluirá sessões científicas, conferências e uma oficina dedicada aos "Jovens Geomorfólogos" Mais informações www.icg2017.com

    Continue Lendo >>

  • IBGE lança novo Mapa de Cobertura e Uso da Terra do Brasil

    O IBGE divulgou o relatório das mudanças na Cobertura e Uso da Terra do Brasil 2014, com comentários, tabelas e gráficos.

    Continue Lendo >>

  • Mapa de solos do Brasil na escala 1:5.000.000

    A Embrapa Solos lançou em 2011 o mapa de solos do Brasil na escala 1:5.000.000 atualizado de acordo com o Sistema Brasileiro de Classificação de Solos 2006. Além do relatório, é possível ter acesso aos mapas nos formatos PDF e JPG, além do formato SHP (ESRI) para uso em ambiente SIG.

    Continue Lendo >>

  • Atlas de Solos da América Latina e do Caribe

    Com o objetivo de apoiar o uso sustentável do solo, a Comissão Européia, juntamente com a Organização Mundial para a Alimentação e Agricultura (FAO) das Nações Unidades, lançam o Atlas de Solos da América Latina e do Caribe. A iniciativa visa fortalecer a cooperação entre a América Latina e a União Europeia nas questões relacionadas às mudanças ambientais.

    Continue Lendo >>

  • As 110 montanhas de 6000 metros nos Andes

    Trata-se de um estudo realizado por Maximo Kausch, utilizando-se de dados Aster e SRTM para mapear as montanhas com altitude superior a 6000 metros dos Andes.

    Continue Lendo >>

  • >> Ver todas as notícias

Envie seu e-mail e receba nossos informativos.

Home > Pesquisas > Projetos de Pesquisa

Projetos de Pesquisa

  • PROJETOS DE PESQUISA E EXTENSÃO DO LABOGEF

    Projetos em andamento

     

    LINHA: MUDANÇAS DE USO DO SOLO E GEOECOLOGIA

     

    Projeto Geoecologia de Paisagem: Dinâmicas Socioambientais das regiões de planejamento do Nordeste de Goiás e Norte Goiano

     

    Líder: Profa. Dra. Karla M.S. de Faria

    Vigência: 2015-2020

    Apoio financeiro: sem apoio financeiro

    Área de estudo: Nordeste de Goiás e Norte Goiano

     

    Resumo

    Avaliar sob uma abordagem geoecológica a dinâmica espacial, ambiental e socioambiental das regiões de planejamento do Nordeste de Goiás e Norte Goiano, que apresentam carência de estudos em nível de detalhe sobre os usos dos solos e fragilidades ambientais. Os resultados irão contribuir para as discussões sobre gestão de áreas protegidas e estratégias de planejamento regional e territorial da área selecionada e, almeja-se a definição de indicadores geoecológicos que possam ser utilizados para políticas de planejamento territorial e ambiental.

     

    Palavra-chave: planejamento ambiental, impactos socioambientais, conservação ambiental

     

    Análise Geoecológica da Fragmentação da Paisagem na Sub-bacia do Rio Caiapó/ Alta Bacia do Rio Araguaia, GO

     

    Líder: Profa. Dra. Karla M.S. de Faria

    Vigência: 2014- 2018

    Apoio financeiro: sem apoio financeiro

    Área de estudo:  Bacia do Alto Araguaia- Sub-bacia do Caiapó

     

    Resumo

    Analisar o processo histórico de fragmentação da Paisagem dos remanescentes da sub-bacia do rio Caiapó, integrante da Alta Bacia do Araguaia, adotando-se procedimentos metodológicos que envolvem análise temporal de imagens de satélite, avaliação da degradação ambiental através do Fragstats e avaliação estatística da configuração da paisagem.

     

    Palavras-chave: impactos, remanescentes de cerrado, uso e ocupação do solo

     

    LINHA: RECURSOS HÍDRICOS, GEOMORFOLOGIA E GEOMORFOLOGIA FLUVIAL

     

    Efeitos do desmatamento de matas ciliares nas dinâmicas geomorfológica e pedológica em ambiente de Cerrado

     

    Líder: Prof. Dr. Márcio Henrique Zancopé

    Vigência: 2013-2016

    Apoio financeiro: Fapeg (Universal 2012)

    Área de estudo: Bacia Alto Araguaia

     

    Resumo

    Protegidas pelo Código Florestal, diversas áreas de matas ciliares do Cerrado foram convertidas para sistemas agropecuários e apresentam-se com significativa fragmentação e perda de sua função ecológica e ambiental. Face ao significativo papel das matas ciliares, torna-se importante avaliar as consequências da sua supressão e conversão a fim de atingir finalidades de: (a) melhoria do nível de conhecimento científico dos ecossistemas e das áreas de fundo de vale com vegetação ripária do Cerrado, (b) aplicação de normas e leis de uso e conservação, (c) elaboração de planos de manejo e revitalização, e (d) desenvolvimento de ações educacionais adequadas. Este projeto objetiva examinar os efeitos do desmatamento de matas ciliares em ambiente de Cerrado sobre a dinâmica fluvial e de vertentes associadas, e sobre as características de solos que suportam estas matas. Em última instância, pretende fornecer conhecimentos básicos que poderão ser úteis para orientar políticas de manejo e conservação dos recursos naturais, planos de uso das terras e ações educativas. Trata-se de pesquisa interdisciplinar que tem como meta integrar pesquisadores de universidades goianas (UFG e PUC-GO) e de outros estados (UNICAMP e USP), e que pretende estreitar a cooperação científica bilateral entre o Instituto de Estudos Sócio-Ambientais da UFG e o Instituto de Geociências da UNICAMP. A pesquisa proposta será desenvolvida na região da Alta Bacia do Rio Araguaia, localizada entre os estados de Goiás e Mato Grosso, onde várias pesquisas estão em curso ou foram realizadas por membros da equipe desse projeto. Para alcançar os objetivos propostos será selecionada área com trecho de mata ciliar desmatada sob uso agropecuário contígua a trecho com mata ciliar preservada, por meio de técnicas de geoprocessamento em ambiente GIS, inspeção visual das imagens e elaboração de séries históricas de uso. Nessas áreas será realizado monitoramento de feições erosivas nas vertentes e nas margens do canal. As feições erosivas serão identificadas por meio de fotografias aéreas (1960) comparadas a imagens de sensores recentes de alta resolução, bem como monitoramento por pinos metálicos e estacas de controle. Serão ainda comparadas variações do nível freático e profundidade da lâmina d?água de inundação por meio de piezômetros instalados nos trechos com mata ciliar desmatada e preservada; bem como analisadas a composição química. Serão reconhecidas as classes de solos nas áreas desmatada e preservada; as quais serão estudados parâmetros físicos, químicos e micromorfológicos. Tais parâmetros indicarão alterações no solo decorrentes do desmatamento e mudanças no regime das inundações que afetam a qualidade dos solos. Os resultados serão cartografados de modo a fornecer dados para o planejamento e revitalização das áreas investigadas.

     

    Palavras-chave: Impactos ambientais, áreas úmidas, bacia do Rio Araguaia.

     

    Compartimentação geomorfológica e caracterização fluviocárstica do parque estadual Terra Ronca e entorno

     

    Líder: Prof. Dr. Marcio Henrique Zancopé

    Vigência: 2015-2017

    Apoio financeiro: CNPq (Universal 2014)

    Área de estudo: Parque Estadual Terra Ronca

     

    Resumo

    O Parque Estadual "Terra Ronca", no nordeste de Goiás, apresenta formas de relevo ligadas à escarpa da Serra Geral de Goiás e à interconexão fluviocárstica. Essas formas de relevo dominam uma faixa de vinte quilômetros de largura ao longo do limite interestadual entre Goiás e Bahia. Esta unidade de conservação foi criada com objetivo de preservar as áreas de ocorrência de cavidades naturais subterrâneas e seu entorno. Muitas cavernas do Parque constituem sumidouros que sofrem aporte da carga sedimentar provenientes dos sistemas fluviocársticos a montante sobre intensa ação morfodinâmica, suscetíveis a uma elevada produção de sedimentos. A problemática desta proposta é verificar quais bacias contribuintes do sistema cárstico fornecem maior aporte sedimentar ou potencial de transferência de sedimentos e as variações dos parâmetros físico-químicos das águas que atravessam o sistema cárstico "Terra Ronca". Os objetivos consistem na compartimentação geomorfológica da área de estudo; avaliar o potencial de transferência de sedimentos das bacias contribuintes do cárste "Terra Ronca" e seu aporte sedimentar; e as variações dos parâmetros físico-químicos das águas. A metodologia se baseia na intersecção de planos de informações georreferenciadas e amostragem em campos da carga do fundo e em suspensão e dos parâmetros físico-químicos das águas.

     

    Palavras-chave: transporte sedimentar, bacias criptoreicas, geoquímica fluviocárstica.

     

    LINHA: IMPACTOS AMBIENTAIS

     

    Erosão hídrica no Cerrado: suscetibilidade e riscos no estado de Goiás

     

    Líder: Profa. Dra. Selma Simões de Castro

    Vigência: 2016-2018

    Apoio financeiro: aguardando resposta do CNPq (Universal 2016)

    Área de estudo: Estado de Goiás

     

    Resumo

    O Cerrado era o segundo maior Bioma brasileiro, com área contínua que ocupava cerca de 22% do território nacional. Foi alvo de expansão da Fronteira Agrícola, sobretudo no século passado, incentivada pelo governo federal através de vários Programas. Resultou num desmatamento intensivo, muitas vezes indiscriminado e passou a ser o foco do agronegócio baseado em commodities concentradas no binômio carne x grãos, desenvolvendo infraestrutura, urbanização e induzindo fortes impactos ambientais, dentre eles a grande perda de biodiversidade e a erosão hídrica, ambas associadas ao desmatamento intensivo.  O estado de Goiás é representativo desse processo, muito embora se destaque na economia regional e nacional, contribuindo significativamente para o PIB brasileiro. Mas, o Estado já apresenta concentração de focos erosivos desses tipos em várias áreas consideradas sensíveis, com solos frágeis e uso/manejos inadequados, as quais são pouco conhecidas ainda que algumas apareçam constantemente nas discussões e estudos mais pontuais ou regionais. Entretanto, ainda não dispõe de estudos e mapas relativos à distribuição de focos erosivos, suscetibilidades e riscos à erosão hídrica, que possam subsidiar políticas públicas sustentáveis para uso dos recursos solos e águas em escala estadual. A erosão hídrica é provocada pela concentração do escoamento das águas pluviais que promovem incisões lineares e alongadas nos terrenos, em geral cortando as curvas de nível, conhecidas como ravinas e, ao interceptarem o nível freático, como voçorocas, em especial as de médio e grande porte, capazes de fornecer grande volume de sedimentos aos recursos hídricos e sopés de encostas, onde depositam os sedimentos, soterrando muitas vezes estradas, construções, além de fundos de vale. Associadas em grande parte a esse processo histórico, desenvolveram-se sob condições favoráveis do meio físico e biótico, muitas delas induzidas pelo uso e manejo dos solos. Causam grande impacto e requerem projetos de controle geralmente onerosos. O presente projeto objetiva elaborar o mapa de erosão do estado de Goiás, como instrumento auxiliar de políticas públicas e de investimentos para ordenamento territorial. A metodologia foi inspirada no mapa homônimo para o estado de São Paulo, constituindo-se em análise multifatorial integrada e multiescalar no tempo e no espaço, de modo a entender como surgiram os focos e seus condicionantes (variáveis) e parâmetros qualiquantitativos explicativos da ocorrência e do comportamento erosivo. Tal mapa permitirá a seleção de áreas críticas onde serão desenvolvidos estudos em escala de detalhe e enfatizados os eixos de concentração do escoamento, sobretudo na forma de enxurrada.

     

    Palavras-chave: erosão hídrica linear, ravinas e voçorocas, indicadores e parâmetros do meio físico, biótico e de uso do solo, áreas críticas.

     

    Assentamentos rurais no estado de Goiás: potencial agrícola, conflitos de uso e consequências socioambientais

     

    Líder: Profa. Dra. Selma Simões de Castro

    Vigência: 2016-2018

    Apoio financeiro: aguardando resposta da FAPEG (bolsa de mestrado)

    Área de estudo: Estado de Goiás, regiões Nordeste e Sul

     

    Resumo

    Estudos recentes feitos em escala regional a respeito dos assentamentos rurais promovidos pelo INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) no estado de Goiás detectaram diferenças notáveis entre os assentamentos da região Nordeste e as do Sul Goiano em termos de número, dimensões, aptidão agrícola e uso das terras. Os do Nordeste são mais numerosos e maiores, porém apresentam menor aptidão agrícola e exploram basicamente a pecuária extensiva, altamente impactante, enquanto os do Sul não menos numerosos e menores, porém apresentam maior aptidão agrícola e dedicam-se, sobretudo, à agricultura. Nos dois casos não se constatou conflitos graves entre a aptidão agrícola e o uso das terras, todavia observou-se que, especialmente no Nordeste, ocorre subutilização dos lotes e uma parcela considerável dos assentamentos sem aplicação de práticas agropecuárias, muitos estando ainda em parte com extensas coberturas de Cerrado, embora o desmatamento e conversão agrícola em terras de maior aptidão já estejam ocorrendo, porém sem as práticas sustentáveis. A avaliação da capacidade de uso das terras é indicada para avaliação de propriedades rurais, por ser voltada para avaliação do potencial de uso em escala de detalhe e por identificar qual tipo de uso pode ser praticado, sem levar em conta a tecnologia do manejo. Trabalha com uma análise mais completa dos atributos dos terrenos, dentre outros, potenciais ou reais, dos aspectos que indicam claramente os tipos de problemas ambientais específicos de uma dada área, derivados dos conflitos de uso gerando subutilização ou superutilização. Sua aplicação nos referidos assentamentos permitirá avançar não apenas na identificação dos eventuais conflitos de uso, mas também na identificação dos problemas de uso e manejo específicos que neles ocorrem, o que poderá ser associado também aos resultados do CAR ? Cadastro Ambiental Rural, quando houver, e contribuir para avaliar a sua sustentabilidade, esta entendida como um status de equilíbrio dinâmico entre a capacidade de uso e o uso efetivo, sem que conflitos gerem passivos ambientais e possam induzir o abandono das terras, ou seja, que favoreçam a conservação dos recursos naturais de modo continuado e sem degradação. Parte-se do pressuposto de que as duas regiões focadas, Nordeste e Sul goiano, são contrastadas, tanto em termos de potencial de uso agrícola, como de uso efetivo das terras, o que pode ter influenciado a escolha das atividades dos assentados. Assim, o presente projeto será realizado na escala local (1:50.000 e maior), contemplando atributos não identificáveis na escala regional, que possam melhor explicar as diferenças encontradas e avaliar se são sustentáveis em acordo com as diretrizes preconizadas pelo INCRA.

     

    Palavras-chave: Projetos de Assentamentos rurais, potencial de uso, conflitos de uso, impactos ambientais.

     

    LINHA: DENDROGEOMORFOLOGIA

     

    Aplicação de dendrogeomorfologia na identificação de processos erosivos antrópicos no Cerrado goiano

     

    Líder: Profa. Dra. Renata Santos Momoli

    Vigência: 2015-2017

    Apoio financeiro: bolsa PIBIC

    Área de estudo: Estado de Goiás

     

    Resumo

    A erosão do solo é um processo de ocorrência natural ou antrópica e constitui impacto ambiental modificador da paisagem. A erosão acelerada causada pelo uso antrópico e manejo inadequado das terras vem comprometendo gravemente a qualidade dos recursos naturais solo e água. A utilização de árvores como testemunhas dos processos erosivos permite distinguir a ocorrência de eventos naturais daqueles relacionados à ação antrópica. A análise dos anéis de crescimento visíveis em algumas espécies arbóreas tropicais pode revelar a idade dos indivíduos e o período de ocorrência dos eventos erosivos. Tal característica permite o uso da análise dendrocronológica para a correlação e datação de eventos geomórficos como perda de solo e deposição de sedimentos. As técnicas de investigação dendrocronológica apresentam vantagens como: i) obtenção de datação de processos recentes (últimos 50 anos), ii) precisão anual dos dados obtidos e, iii) possibilidade de associação às ferramentas de SIG´s (Sistemas de In formação Geográfica) para espacialização dos dados levantados. O presente projeto de pesquisa objetiva selecionar espécies arbóreas nativas no Cerrado Goiano que possam ser indicadoras do processo erosivo decorrente do manejo do solo agrícola. Pretende-se também obter registros temporais e espaciais da ocorrência de eventos como erosão e/ou deposição e assim, elevar a eficiência dos programas de conservação da qualidade do solo e da água.

     

    Palavras-chave: Erosão do solo, bioindicadores, dendrocronologia

     

    LINHA: RELAÇÕES SOLO X RELEVO E SOLO X PAISAGEM

     

    O papel da litoestrutura do carste na morfodinâmica Cenozóica da Serra Geral de Goiás (GO/TO/BA)

     

    Líder: Prof. Dr. Luis Felipe Soares Cherem

    Vigência: dezembro de 2017

    Apoio financeiro: CNPq ? Edital Universal 2014

    Área de estudo: Vão do Paranã e Chapadão Oeste da Bahia

     

    Resumo

    O projeto visa entender as relações morfodinâmicas cenozoicas ao longo do interflúvio entre as bacias hidrográficas dos rios Tocantins e São Francisco, sendo utilizada a aplicação acoplada (coupling) de técnicas de pedogênese (análises química, mineralógica e micromorfológica) e de geocronologia (berilo cosmogênico e luminescencia oticamente estimulada - LOE). Os resultados têm demonstrado o importante papel do relevo cárstico para instalação da cuesta ao longo desse interflúvio, evidenciando seu recuo sobre porções do território de MG e BA. A pesquisa conta com a parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e a Universidade Aix-Marseille, na França.

     

    Palavra-chave: Be10, luminescência opticamente estimulada, morfodinâmica, cuesta

     

    Datação de formações lateríticas e sedimentares da Bacia do Rio Negro e sua contribuição para o entendimento da história geomorfológica das terras baixas da Amazônia-Brasil

     

    Líder: Prof. Dr. Guilherme Taitson Bueno

    Vigência: 2013-2016

    Apoio financeiro: CAPES-COFECUB e FAPEMIG (bolsas de mestrado)

    Área de estudo: Bacia do alto e médio Rio Negro (municípios de São Gabriel da Cachoeira-AM e Santa Isabel do Rio Negro-AM).

     

    Resumo

    O conhecimento sobre a diversidade, a distribuição espacial e o funcionamento das paisagens amazônicas é uma necessidade urgente tanto em nível nacional quanto global. Informações sobre a idade dos materiais (rochas, sedimentos, solos), em associação com as unidades de relevo, podem contribuir para esses objetivos. A datação das formações superficiais e das formas de relevo na região é quase sempre relativa. Existem datações absolutas pontuais por radiocarbono, mas esta técnica não alcança certamente as idades das formações superficiais dos baixos platôs da região. A técnica de datação de caolinitas em função dos defeitos induzidos por radiação natural em sua estrutura cristalina - RID (BALAN et al., 2005; ALLARD et al., 2012) pode fornecer valores de idade absoluta para materiais de formações lateríticas (Latossolos e Argissolos evoluídos, couraças ferruginosas) e mesmo das formações sedimentares. Os objetivos do projeto são: 1) mapear a distribuição das principais pedo-paisagens do médio Rio Negro, buscando compreender as relações espaciais entre essas paisagens e sua evolução; 2) caracterizar (granulometria; mineralogia; química total) os materiais de alteração e solos lateríticos bem como os sedimentos da Formação Içá; 3) testar a aplicabilidade e obter idades absolutas por meio da técnica de datação das caolinitas por RID (BALAN et al., 2005; ALLARD et al., 2012) desses materiais. O método compreende três etapas: 1) identificação e mapeamento de compartimentos de pedo-paisagens por meio de imagens de satélite e em campo; 2) coleta de amostras de solo/sedimentos em campo; análises físicas (LAFS-UNESP-Rio Claro-SP); químicas (ACTLABS-Canadá); mineralógicas (NUPEGEL-ESALQ-Piracicaba); 3) extração da fração argila e datação por Ressonância Paramagnética Eletrônica ? RPE das caolinitas em função da intensidade dos RIDs (IMPMC-Paris-6). O projeto vincula-se a um projeto maior, desenvolvido no âmbito do Programa CAPES-COFECUB, de cooperação franco-brasileira, proposto por meio de parceria entre a UNESP-Rio Claro e o Instituto de Mineralogia e de Física dos Materiais e de Cosmoquímica (IMPMC) da Universidade de Paris 6.

     

    Palavras-chave: pedopaisagens; história geomorfológica; datação absoluta; Amazônia.

     

    Interpretação paleogeográfica de sítios arqueológicos em solos arenosos na bacia do médio rio Tocantins (TO)

     

    Líder: Profa. Dra. Selma Simões de Castro

    Vigência: 2013-2017

    Apoio financeiro: sem financiamento

    Área de estudo: Estado de Tocantins: Miracema do Tocantins

     

    Resumo

    Pesquisas recentes desenvolvidas em ambientes de Cerrado, situados na margem esquerda do rio Tocantins, município de Miracema do Tocantins, indicaram presença de sítios arqueológicos superpostos em sedimentos arenosos, identificados como Neossolos Quartzarênicos, separados por camadas estéreis. Os sítios e os solos foram datados com base em C14 e LOE e revelaram idades holocênicas variadas durante os últimos 11 mil anos, representando três momentos mais específicos, pouco mais de 10000 anos AP, cerca de 5000 anos AP e pouco mais de 100 anos AP. Inicialmente supôs-se que esses ambientes constituam paleodunas associadas a paleoclimas correspondentes a hiatos de aridez correlativos das camadas arqueologicamente estéreis e de momentos mais favoráveis à ocupação, subúmidos, correlativos dos sítios, representantes de oscilações  que acometeram essa região no período, sobretudo no Quaternário Tardio. Com o desenvolvimento desses estudos a hipótese de paleodunas foi descartada e valorizada a de coluvionamentos em ambientes já bastante similares aos do Cerrado, sem grandes hiatos de aridez, associados à morfogênese tropical do relevo controlada pelo próprio rio Tocantins, nível de base regional e local. Os objetivos deste projeto são situar os resultados desses estudos recentes numa revisão da literatura no tema de paleoclimas aplicados ao Cerrado; identificar os ambientes que afetaram a referida área, incluindo estudos micromorfológicos das amostras dos solos  onde se situam os sítios e que possam auxiliar no entendimento dos paleoambientes reinantes na região e sua abrangência, bem como dos processos de pedogênese, de modo a compreender melhor a superposição das sucessivas ocupações intercaladas por camadas estéreis.

     

    Palavras Chave: paleoclimas do Cerrado, solos arenosos, relações solo x paisagem

1 item(ns)
Primeiro Anterior Proximo Ultimo

Universidade Federal de Goiás - UFG
IESA - Instituto de Estudos Sócio-Ambientais - Campus Samambaia - (62) 3521-1077 | Fax (62) 3521-1184
LABOGEF - Laboratório de Geomorfologia, Pedologia e Geografia Física - (62) 3251-1095

 

Copyright © 2009 LABOGEF. Todos os direitos reservados.

UFGIESAIESAFAPEG